Governo mantém orçamento da Educação superior ao da Defesa em 2021

Foi enviada ao Congresso a proposta de orçamento para o ano de 2021, o Governo Federal pretende manter no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) os gastos previstos com a Educação serão maiores do que os com a Defesa, no ano de 2021. As informações foram disponibilizadas segundo a proposta final do PLOA, o qual prevê o investimento de 144,5 bilhões para o Ministério da Educação e 116,1 bilhões destinados ao Ministério da Defesa.

Mesmo com a atual crise econômica e orçamentária, o governo Bolsonaro privilegiou os setores da Defesa, pois quando comparado o orçamento do ano de 2020 a Defesa obteve aumento orçamentário no próximo ano, no entanto, os valor está abaixo do orçamento da Educação. O aumento para o Ministério será de 1,178 bilhão de reais a mais do que em 2020. O dinheiro deverá ser utilizado para a modernização das forças armadas, com a compra de helicópteros, aviões, blindados, e outros gastos não obrigatórios.

Para a Educação os valores também terão aumento em relação ao ano de 2020, o governo recuou na decisão de manter a Defesa com maior orçamento e definiu valores maiores para a Educação. Com isto, a pasta educacional passa a ter a verba de 144,5 em 2021, o que representa uma elevação de 1,702 bilhão em relação a 2020 que contavam com 142,8 bilhão de reais.

Com a crise causada pelo novo corona vírus e o adiamento do Enem 2020, muitos jovens se prejudicaram o que pode acarretar em uma maior procura para a próxima edição do SISU em 2021, conferir o cronograma SISU 2021 é de suma importância, para que mais danos não sejam causados ao cronograma pessoal dos estudantes.

O orçamento não prevê destinação de verba para o Renda Brasil, de acordo com representantes do governo o programa ainda está sendo discutido e por este motivo não entrou no orçamento. Enquanto outros setores como Meio Ambiente e Saúde irão sofrer corte orçamentário durante o próximo ano. A inflação do ano anterior é utilizada para medir os gastos do ano seguinte, como os gastos estão sendo altos devido a pandemia, o governo deverá ter um novo teto orçamentário não podendo gastar além do previsto.

No entanto, dados apontam que a economia continuará a enfrentar problemas no próximo ano, a pandemia mundial acabou afetando ainda mais os setores econômicos. Esse impacto deve permanecer em 2021, alguns setores como o comércio sofreram baixas históricas o que impactou os cofres públicos e privados, gerando menos impostos e mais danos a ambas as partes. O novo PLOA será um desafio para o governo Bolsonaro que terá que lidar com mais problemáticas como a falta de dinheiro.